terça-feira, 28 de abril de 2009

A previsão dos Trapalhões

Continuando com nosso miniespecial dos Trapalhões no blog.

Confira esse vídeo extra sobre um episódio de Trapalhões que previu o futuro, impressionante!

Já vimos: Wolverine


Um dos super-heróis mais queridos dos quadrinhos ganha um filme só para ele! E hoje foi o dia de o Homem Nerd ver o resultado de X-Men Origens: Wolverine. Para quem estiver com a expectativa muito alta, é recomendado um pouco de cautela...
Há, como não poderia ser diferente, muitas cenas de luta com pancadaria para todo lado. O filme empolga por essa razão, mas sofre do mesmo mal de Homem Aranha 3: muitos personagens pra pouco filme. Wade e Gambit, que já eram esperados em outros filmes, têm poucas falas nas escassas cenas em que aparecem.
O lado bom é que o roteiro é bem fiel à essência dos personagens.

domingo, 26 de abril de 2009

A Procura de Spock


Atenção: Spoiler para quem ainda não viu os filmes de Star Trek da década de 80.

Ao fim de A Ira de Khan, Spock morre e seu corpo é lançado no planeta Genesis, numa cerimônia solene. Só que instantes antes de morrer, Spock transmitiu a essência da sua mente para o Dr. McCoy. Seu intuito era que isso fosse levado até Vulcano, para uma cerimônia especial.

Só que o corpo precisaria ir junto e ele ficou no planeta Genesis. Kirk e a tripulação requerem a Enterprise para mais uma viagem, para resgatar Spock. A requisição é negada devido a dois acontecimentos: primeiro, a nave foi condenada e, segundo, Genesis se tornou assunto confidencial.

O regulamento nunca parou Kirk e ele não tem dúvidas quanto a roubar a nave a partir para Genesis. Assim tem início a aventura deste longa, A Procura de Spock.

Dirigido por Leonard "Spock" Nimoy, o filme é muito bom, mas não tão legal quanto o anterior, A Ira de Khan. Dessa vez os vilões são os Klingons, os arquirrivais da federação nessa época, e o Almirante Kirk tem de usar toda a sua inventividade para tentar derrotá-los como uma nave avariada.

Diretamente, é possível considerar a história como o meio de uma trama maior, que se encerra no filme IV, A Volta para Casa. Sozinho, é divertido, mas funciona melhor dentro desse enredo maior.

Em breve, comento o próximo, uma das coisas que eu acredito será dos principais combustíveis para o vindouro filme de J.J. Abrams.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Estreias da Semana


Mesmo com o site fora do ar (palmas para o NerHost!), seguimos analisando os filmes.
O grande destaque da semana é Eu Te Amo, Cara. Uma comédia sobre amizade com o selo Apatow de qualidade. Engraçada e verdadeira, principalmente para quem já sentiu carência de amigos. Um Superbad mais maduro.
O documentário nacional Fumando Espero também é uma boa opção, já que traz novos pontos de vista para uma questão que facilmente se torna repetitiva. Assim como em Supersize Me, a diretora passa é também parte do processo. Adriana Dutra tenta parar de fumar e o espectador é testemunha.
O abacaxi da semana é Eu Odeio o Dia dos Namorados, com o mesmo casal de O Casamento Grego. Nia Vardalos exibe um irritante sorriso-de-guia-turístico por todo o filme, que parece interminável.

Estamos Lendo

Matadouro 5

Títu
lo original: (Salughterhouse-five)
Autor: Kurt Vonnegut
Tradução:
Cássia Zannon

Editora: LP&M Pocket
226 páginas


Sinopse: Bill Pilgrim viaja pelo tempo, mas apenas para os acontecimentos de sua vida, desde seu nascimento até sua morte, de forma aleatória. Isso
passou a acontecer após ter sido abduzido pelos habitantes do planeta Tralfamador. Ele nunca sabe quando isso irá acontecer ou para quando será transportado. Nem se o momento é agradável ou não. E muitas vezes vai para o período em que, soldado americano na Segunda Guerra Mundial, esteve preso num campo de prisioneiros alemão, em Dresdem. Boa parte da história se fixa nestes momentos, em particular no bombardeio por parte dos americanos da cidade, onde morreram 135 mil pessoas.

O romance coloca um personagem ingênuo ao sabor dos acontecimentos, muito maiores do que ele mesmo pode compreender. O que dá a ele o perfil ideal para ser um observador que vive o sofrimento da guerra sem ter uma perspectiva ideológica que a justifique ou a negue.


A intenção do autor é justamente chamar a atenção para este lado, o lado humano de alguém que sofre na pele as agruras da guerra, independente de que lado esteja, já que sobre diretamente tanto os desmandos dos nazistas, que fuzilam sumariamente um amigo seu apenas por ter pegado um objeto insignificante salvo do bombardeio, como dos americanos que bombardearam exaustivamente a cidade de Dresdem, causando mais mortos que a explosão das bombas atômicas de Hiroshima e Nagasagui.


A viagem no tempo é um recurso que o permite escrever exatamente como nossas lembranças vêm à mente, sem escolher hora ou seqüência e muito menos localizadas num tempo e espaço.
Os tralfamadorianos têm a função de trazer uma outra visão de mundo com uma cultura onde o tempo não tem significado, pelo menos não o mesmo que o nosso desenrolar linear. Viver a mesma vida de forma aleatória traz uma visão da morte sui generis, já que a morte passa ser apenas um momento da vida, que pode ser vivenciado inúmeras vezes.

Boa parte do romance é centrada no desenrolar da guerra, com uma leve pitada autobiográfica, já que Vonnegut esteve no bombardeio de Dresdem e foi prisioneiro dos nazistas, num campo de prisioneiros improvisado num matadouro (daí o nome do livro, que se aproveita da ironia do destino para sublinhar o absurdo da guerra).

Escrito em 1969, quando a guerra do Vietnam estava no dia a dia dos noticiários do mundo inteiro, este romance foi considerado por muitos o melhor romance americano antibelicista da época. Mas o romance ultrapassa o discurso meramente panfletário, coisa que o autor evita. Seu personagem principal é denso e muito bem caracterizado, bem como o vai e vem no tempo. Este recurso é colocando com sutileza e, pouco a pouco, o leitor está envolvido e acha natural o deslocar nos vários momentos, deixando de se importar com o quando e concentrando-se no que está acontecendo e como os personagens se sentem.


Uma obra prima.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

E se... Kurt Cobain não tivesse morrido


Em ano de "comemoração" do aniversário de 15 anos da morte do líder do Nirvana, Kurt Cobain, muitos documentários e shows foram exibidos nos canais de TV mas tudo mais do mesmo. A homenagem mais interessante foi a HQ de Ward Sutton publicada pelo The Village Voice. O cartunista criou um universo paralelo onde Cobain não teria se matado.
Confira a homenagem aqui.
O mais interessante, porém, é ler os comentários das pessoas que ficaram ofendidas pelo humor negro de Sutton.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Star Trek - A Ira de Khan


Em breve J.J. Abrams mostrará sua visão sobre Star Trek, numa espécie de Episódio 1, que mostrará o primeiro contato de Kirk, Spock e McCoy com a nave USS Enterprise. Para refrescar a memória antes da estreia, estou assistindo à série clássica e aos longas anteriores.

Para quem não sabe, a série teve 79 episódios, mais um piloto que nunca foi ao ar, e foi de 1966 a 1969. Star Trek não foi exatamente um grande sucesso, mas deixou uma legião de fanáticos. Na esteira do êxito de Star Wars em 1977, a tripulação voltou a Enterprise para o primeiro filme, em 1979. Mas o grande acerto viria três anos depois, com o segundo, A Ira de Khan.

Continuação de um episódio da série, o filme mostra um povo bélico geneticamente alterado que foi deixado pelo capitão Kirk para colonizar um planeta. Só que a órbita foi alterada e eles ficaram num lugar que é apenas deserto. Khan domina uma nave da federação que desce ao planeta e passa a perseguir Kirk, além de tentar ativar um projeto novo da federação, o Genesis, que seria capaz de gerar vida.

A batalha entre os dois no espaço é repleta de táticas e enfrentamentos não só racionais como emocionais. Além desses elementos o filme tem como grande mote o teste do Kobayashi Maru e a ideia de que a necessidade de muitos sobrepuja a necessidade de poucos.

O final do longa é surpreendente e gera um gancho para Star Trek III: A Busca por Spock, de 1984, o próximo da minha lista.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Grandes momentos dos Trapalhões

Como estamos impossibilitados de atualizar o site, o especial Trapalhões vai ficar com a atualização semanal temporariamente adiada. Enquanto isso, selecionamos para vocês dois vídeos de momentos clássicos desses comediantes. Confira!


Uma ótima dica de paquera!


Mussum tenta deixar a conta pra depois...

domingo, 19 de abril de 2009

Moda Steampunk

Enquanto pesquisava pela web, garimpando novidades, topei com o site do Conselho Steampunk do Brasil. Fiquei agradavelmente surpreendido ao ver o nível de organização e qualidade do material produzido pelos fãs deste genero de arte. E realmente é muito abrangente este conceito. Eles não produzem só literatura, mas também escultura, peças de joalheria, fotomontagens, e... moda (ultrapassando o simples cosplay!).


O site coloca no ar um tutorial para as moças treinarem, um jogo estilo veste e despe.


Candidatas a steampunks, divirtam-se.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Homem Nerd fora do ar (de novo)

Nosso servidor, que se chama Nerdhost (guarde esse nome), fez nosso querido site sair do ar mais uma vez!!!

Viva a incompetência, minha gente!

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Trapalhões vs Trapalhões



Os Confrontos Impossíveis desta semana é no ritmo do nosso Especial Trapalhões. Dessa vez um embate quadrúplo e os leitores escolhem quem foi o Trapalhão mais engraçado, Didi, Dedé, Mussum ou Zacarias?

Diga quem e por que nos comentários!

sábado, 11 de abril de 2009

Lost - 5ª temporada


Apesar de não cobrirmos Lost com afinco no Homem Nerd, sou um fã incondicional da série. A série mais famosa de J.J. Abrams cresce em complexidade e qualidade a cada episódio e está 5ª temporada está sensacional.

Infelizmente, muita gente parou de acompanhá-la em temporadas anteriores, perdendo muito do que a série tem a oferecer. Por isso, fica a dica para essas pessoas que pararam de assisti-la: retomem-na. Vale a pena!

No Homem Nerd temos dois artigos sobre Lost, a resenha da primeira temporada e um outro sobre os famosos números, que perderam a importância recentemente. Entretanto, assim que a corrente temporada terminar, prometo uma resenhar pormenorizada dela.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Feriado à francesa

Nessa Semana Santa, resovi separar umas dicas de DVDs um pouco mais românticas, já que da última vez me foquei em aventuras. Que melhor lugar para inspirar os corações apaixonados do que a França? Quem não foir viajar, pode ficar em casa de curtir esses dois bons filmes no conforto de seu sofá!

A primeira dica é a comédira romântica francesa Baby Love, que conta a história de um pediatra que fará de tudo para adotar uma criança. Seu maior obstáculo é que as leis na França não permitem que um homem gay seja candidato à adoção.

Para quem curte um romance de época, a dica é Paixão Proibida. Apesar de falado em inglês, a trama se passa na França, na época em que começaram as viagens ao Oriente para conseguir seda. Michael Pitt interpreta um desses viajantes que, apesar de casado, apaixona-se por uma mulher japonesa.

As recomendações não são um trocadilho infeliz com a Sexta-feira da Paixão!!!

terça-feira, 7 de abril de 2009

Nerd após a morte

Para os fãs de Star Trek já possivel continuar a tietagem mesmo após a morte. Uma empresa americana fabricante de diversos tipos de urnas mortuárias está disponiblizando a partir deste ano caixões inspirados no caixão do Spock visto no filme A Ira de Khan.


bem como uma urna para cinzas no "estilo século 24".


Eu só espero que esta idéia não tenha surgido porque os fãs de Star Trek (como eu) estejam ficando muito velhos...

Se você ficou interessado, veja esta e outra urnas aqui

sábado, 4 de abril de 2009

Confrontos Impossíveis; vencedor Cthulhu!


O poder de tirar pontos de sanidade é maior do que o de devorar planetas. Apesar de Cthulhu nunca ter enfrentado o Quarteto Fantástico, o monstrengo pôde dar conta de Galactus, sendo o vencedor do segundo Confronto Impossível. Aguarde na próxima semana mais uma batalha.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Para escrever bem é preciso ler muito... not!

Esse post é sobre uma grande falácia do mundo estudantil: a máxima que professores, sobretudo de redação, repetem como se fosse uma verdade universal: "para escrever bem é preciso ler muito".

Essa é uma tremenda de uma inverdade. Logicamente que ler bastante implica num bom conhecimento da língua, mas não é uma condição única para que a pessoa se torne um bom redator.

Saber redigir um bom texto requere preparo, prática, domínio de técnicas argumentativas, saber se expressar e comunicar bem e, por que não, inspiração. A leitura é necessária também, mas apenas ler muito não habilita necessariamente uma pessoa a escrever.

Indo além, conheço casos de pessoas que escrevem bem sendo leitores modestos . Lógico que todos lêem, mas sua capacidade nç