sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Top Filmes e Carnaval

Como aconteceu no ano passado, os números da bilheteria do fim de semana só foram totalizados depois da Quarta-Feira de Cinzas. Por essa razão, o Top Filmes ficou muito pouco tempo na capa do site.
Para conferir os filmes mais vistos pelos não-foliões, clique aqui.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

O enigma do "2"

Se eu fosse você 2 está prestes a passar a renda e o público de 2 filhos de francisco e se tornar o filme de maior público e renda brasileiro desde a chamada retomada, de 1994.

A primeira vista, esses dois filmes não tem nada em comum. O primeiro, e mais atual, é um comédia romântica onde um casal troca de corpos e precisa conviver com isso. O segundo é uma cinebiografia de uma dupla sertaneja de sucesso.

Entretanto, os títulos dos filmes guardam uma semelhança: o número "2". Em 2 filhos de francisco ele é funciona como um símbolo que remete diretamente ao duo que compõe o grupo sertanejo, apesar de o filme não ter apenas dois ou mesmo três protagonistas. Já em Se eu fosse você 2, o número indica apenas que o filme é uma continuação do sucesso Se eu fosse você, de 2006.

Uma mera coincidência, mas se nos lembrarmos que o filme de maior público da história do cinema nacional de todos os tempos, e não apenas contando a partir do período da retomada, é Dona Flor e seus Dois Maridos. Repare no número mágico em destaque.

Nova coincidência ou realmente estampar esse número em um título nacional é garantia de sucesso?

E mais, pensando rápido, quantas continuações você consegue se lembrar do cinema brasileiro? Nenhuma? Nem eu.

Mas algo me diz que se fossem feitos Tropa de Elite 2 ou Central do Brasil 2 teríamos novíssimos sucessos marcantes.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Resenha: South Park e a Filosofia

Sinopse: Neste livro, 23 estudiosos reúnem-se para desvendar as questões filosóficas levantadas pelos personagens, enredos e pensamentos da polêmica série animada South Park, desenho criado por Matt Stone e Trey Park e conhecido em todo o mundo por satirizar e criticar religiões, políticos, celebridades e a sociedade norte-americana, usando e abusando de palavrões.

Análise: South Park e a Filosofia é um título da coleção da editora Madras que explora grandes fenômenos da cultura pop sob a ótica da filosofia. A casa publicadora lançou na mesma linha outros volumes como Star Wars e a Filosofia, Super-Heróis e a Filosofia, Harry Potter e a Filosofia, entre outros até mais absurdos como Metallica e a Filosofia.

Todos os livros são coletâneas de artigos acadêmicos, mas em tom informal, que analisam diversas questões filosóficas desses fenômenos cheio de fãs. Em South Park e a Filosofia são 23 artigos de diversos estudiosos que se propõe a estudar coisas como lógica, retórica, religiões, política e, até mesmo, a comicidade da série.

Os artigos tem linguagem fluída e simples. A edição de texto do organizador da coletânea, Robert Arp, é excelente, dando a todos os artigos um ritmo parecido e bem organizado. Cada texto aborda South Park sobre aspectos diferentes dos demais, usando alguma situação da série como porta de entrada para o assunto a ser discutido. Além disso, todos os exemplos do livro são com personagens de South Park, tendo eles acontecido na série ou não.

Curiosamente, o único texto que destoa um pouco dos demais é o do próprio Robert Arp: “A Defesa Chewbacca: Uma lição de Lógica em South Park”, onde o autor começa falando do hilário episódio “Chef Aid”, mas rapidamente abandona a série e desenvolve uma argumentação mais voltada para a lógica.

O livro é dividido em seis partes, sendo elas: “Parte Um: Levando South Park a Sério... OK”, onde o humor de South Park é colocado em cheque; “Parte Dois: The Fab Four”, focado nos quatro protagonistas; “Parte Três: A República de South Park”, aqui são analisadas as principais características sociais de South Park; “Parte Quatro: Ética: Cara... Muçulmanos Gays não comem Vitela”, os estudiosos tentam encontrar alguma ética e moral em South Park; “Parte Cinco: Quem diabos é você? Prostitutas, Robôs e Corpos”, questões de identidade são abordadas nessa parte; e “Parte Seis: Satanás, Sofrimento, Supermelhores Amigos e Música”, o último capítulo compilando tudo o que faltou a ser dito.

As principais linhas de pensamento citadas no livro são, naturalmente, as de Platão e Aristóteles, além de Kant, Hume, Schopenhauer (em menor escala). Mas o mais importante é o utilitarismo de John Stuart Mill, com o seu princípio da utilidade, que está bem presente na obra.

O capítulo que mais se destaca, sem dúvida alguma, é “Os Gnomos Invisíveis e a Mão Invisível: South Park e a Filosofia Libertária”, de Paul A. Cantor. O texto, muito bem escrito, explora as abordagens do capitalismo no clássico episódio “Gnomes”. A impressão que se tem é que o autor já estudava o episódio em suas aulas e palestras em universidades e, portanto, tem mais background para desenvolver sua argumentação com maestria.

Os destaques negativos ficam para algumas coisas da edição brasileira. Apesar da tradução e da adaptação do texto o deixá-lo bem fluente, esses trabalhos apresentam alguns erros crassos como no capítulo sobre Kenny, mais especificamente na página 83, onde a aula de “Shop” (mecânica) foi traduzida como “ir as compras”, mesmo com um contexto bem claro para o tradutor: “Kenny parece estar amaldiçoado e toma decisões prudentes para evitar o perigo, como quando escolhe fazer Economia Doméstica em vez de ir às compras(...)”.

Outro problema é no que concerne a revisão. Apesar do livro ter quatro revisores creditados (o que indica no mínimo quatro revisões), diversos errinhos de hifenização e duplo espaçamento podem ser encontrados no decorrer do texto. Entretanto, o pior erro de todos está na página 163, onde a palavra selecionar está grafada como “celecionar”.

Um detalhe que poderia abrilhantar a edição brasileira seria um índice remissivo com os principais nomes de pensadores presentes no livro. Apesar de não ser essencial, esse item seria de grande valia.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Cozinhando com as estrelas do rock

Cozinhar está na moda: realities, programas de TV com chefes tão famosos quanto estrelas de Hollywood, livros com acabamento de luxo para, teoricamente, você levar pra cozinhar e manchar de óleo... Por algum motivo, talvez o aumento da renda e por conseguinte o crescimento dos hobbies ou o interesse por uma vida mais saudável, a culinária virou atração.
Em 2002, Jen Robbins criou um programa chamado Cooking with Rockstars. A irreverência é que você nunca imagina uma estrela do rock cozinhando, seja porque eles geralmente têm dinheiro e empregados ou porque o estilo de vida deles não combina muito com passar horas tirando a pele de um tomate.
O programa de TV é exibido em seu site e conta com atrações não tão famosas mas a diversão é garantida. Se você tem um gosto musical indie, então vai se esbaldar com as pessoas mais improváveis fazendo receitas bem surpreendentes enquanto conversam sobre música, cultura, vida pessoal e, claro, a arte de cozinhar.

Alguns permanecem true ao espírito roqueiro como este rapaz que faz o melhor drink do mundo:


O programa da Jen inspirou umas empreitadas brasileiras como o extinto Gordo a Bolognesa, onde João Gordo fazia a mesma coisa mas com nomes da música nacional. Outro produto parecido foi um programa da Angélica que até virou livro. A compilação de receitas chama-se Cozinha das Estrelas. Neste, quem se mantém dentro do espírito rebelde é Latino com seu drink Sem Noção.

Voltando ao Cooking with Rockstars, não deixem de ver o vídeo do Jack Black, onde ele ensina a fazer um prato fácil, apetitoso e, claro, muito saudável:

Reabertura da Coletivo Galeria

Essa semana foi reaberta a exposição Noturno com novos desenhos do talentosa Carlos Carah. No evento em que marcou o início de atividades de 2009, a agitação que já é costumeita na Coletivo Galeria pode ser revivida.
Além dos desenhos que já foram apreciados ano passado (confira resenha aqui), cinco novos trabalhos foram adicionados. Quem já foi, pode ir de novo; quem não conhece e está em São Paulo não tem motivos para deixar a oportunidade passar – afinal, a entrada na Galeria é gratuita.
Na reabertura, ótimas atrações marcaram a noite. Começando por um hilariante número de stand up de Márcio Américo, falando do mundo das drogas e de cantigas infantis com muito bom humor. Depois, os ouvidos dos presentes foram presenteados com blues de alta qualidade da banda Fábrica de Animais.
A Coletivo Galeria fica na R. dos Pinheiros, 493 e funciona de terça a sexta das 15h às 20h e nos sábados das 12h às 19h.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Hal 9000 ainda existe?

HAL 9000 é o computador de grande porte que quase ganhou o Oscar de ator coadjuvante em 2001 e 2010 e, apesar do universo computacional hoje ser uma vasta rede nas malhas da Internet, computadores de grande ainda tem seu papel. Não nas telenas: o mais famoso dos temíveis "cérebros eletrônicos", que um dia dominariam a humanidade, tem um endereço na sua grande rival.

Trata-se do HAL Project, um site onde você tem à disposição imagens do filme 2001, Uma Odisséia no Espaço, screen savers, active descktops, diálogos em áudio dos filmes e, para breve, uma simulação. O site vale uma visita.

Pai Nerd

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Blogs de quadrinhos hilários e inteligentes

A internet está cheia de blogs de humor e de quadrinhos também. Recentemente tomei conhecimento de dois blogs que se enquadram nessa categoria e que lembram bastante um ao outro.
Tratam-se de Wagner e Beethoven e Capinaremos. Ambos trazem tirinhas pouco elaboradas graficamente, que costumam pegar imagens de outros lugares, e as rearranjam com novas falas de maneira que fiquem hilariante, chamando a atenção pelo humor negro muito sagaz.

O primeiro, Wagner e Beethoven, mostra os dois compositores românticos alemães vivendo como roomates na São Paulo de hoje em dia. Misturando imagens de filmes baseados nas vidas dos músicos e de seus retratos, o autor aproveita para fazer galhofa de tudo e de todos, indo de assuntos como o congresso nacional até a noite paulistana.

Já Capinaremos é mais abrangente quanto a personagens, mas faz piadas tão engraçadas quanto o outro. Destaque para a piada envolvendo Batman e Coringa abaixo:Diversão garantida!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Já vimos: Batman em IMAX

Com a proximidade do Oscar a sala IMAX, que começou a operar recentemente em São Paulo, irá relançar Batman – O Cavaleiro das Trevas na tela gigante a partir de sexta-feira (6/2). Eu fui convidado, junto com outros colegas de trabalho, a assistir a adaptação dos quadrinhos no novo formato. Na verdade, apenas quatro cenas foram rodadas com as câmeras especiais, que pesam cerca de 100 kg, o que dá cerca de 30 minutos.
Essas quatro cenas não são inéditas. Elas só utilizam a totalidade da tela; no restante do filme, há o recorte para o formato convencional. O saldo final é uma experiência interessante, mas quem está um pouco temeroso em desembolsar os R$ 30 do ingresso pode esperar um pouco mais para ver uma das animações inteiramente em IMAX que estréiam em breve.
Quem estiver apenas com saudade do filme, ele reestréia no circuito convencional – e com preços mais convidativos – no dia 13/2.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Harley Davidson para nerds

A famosa empresa de motos Harley Davidson lançou seu novo produto com um enfoque com um público que nos diz respeito: nerds. Com uma propaganda bem simpática, mostra que não é preciso ser um estereótipo para dirigir uma moto. Confira: