terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Rolling Stone e o humor brasileiro



Comprei a edição de dezembro da versão brasileira da revista Rolling Stone para ler uma matéria com o perfil dos humoristas brasileiros da nova geração. Na capa, que pode ser conferida acima, estão Sabrina Sato, Cristian Pior (ambos do Pânico), Marcelo Adnet (do Quinze Minutos) e Marcelo Tas (âncora do CQC). Além deles, a matéria traz entrevistas e perfis de outros comediantes, como Danilo Gentili (também do CQC) e o mítico Gil Brother, de Hermes e Renato.

Para amarrar com maestria a matéria duas entrevistas com icônes da comédia televisiva nacional: Chico Anysio e Renato Aragão. À exceção do confuso texto de abertura, que não diz nada com nada, um especial de tirar o chapéu.

Entretanto, o resto da revista me incomodou um pouco. A quantidade de publicidade é absurda. Lógico que para manter uma revista do porte da Rolling Stone é preciso muita grana, mas como as matérias são tão boas, toda vez que nos deparamos com uma página publicitária é impossível conter a raiva.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Peru(cas) de Natal

Antes de começar a mostrar as pérolas imagéticas, essência deste post, eu quero contextualizar o porquê de tudo isso.

Este ano me bateu uma preguiça imensa de viajar e, por isso, vou comemorar a passagem do ano com uns amigos, inclusive mais da metade da equipe Homem Nerd. Adoro festas temáticas, então comecei a fuçar em sites de enfeites para arranjar um tema para a minha festa de Ano Novo.

E assim acessei o site (mágico!!!) da loja Festimania. Como não poderia deixar de ser, entrei na seção de perucas. O que eu não esperava era encontrar o que mostro abaixo.

Começando com uma simples, que pode até ser considerada pouco engraçada. As perucas não são exatamente engraçadas (são perucas, afinal), mas as fotos demonstrativas são imperdíveis! Esta imagem ao lado, uma amostra da peruca Sílvio, é só para aquecer a mente.

Olha a cara de feliz do rapaz!


Outra coisa típica ao uso de perucas é pintar o corpo de preto.


Isso é tão batido que, enfim, i'm speechless... mas nada supera a cara do modelo da peruca Black Frisado.







Outras duas fotos ridículas são as das perucas Chitão e Hippie.


Olha o Photoshop aí, gente!



Por fim, o pódio!

E o bronze vai para a peruca....


RASTAFARI


E a prata vai para a peruca...


ÍNDIO


E, finalmente, a grande medalha de ouro vai para a peruca...



PEPEU

Uma pose sexy, um roupão de banho e uma versão loira escondidinha no canto da imagem renderam ao grande Pepeu o prêmio máximo deste post. A multidão foi à loucura!!!!!

O melhor de tudo: a peruca Pepeu é totalmente metal! É até frisadinha, num estilo meio anos 1980. Fica a dica aos metaleiros que, por um motivo ou outro, não têm cabelos compridos.

domingo, 28 de dezembro de 2008

Promoção Crepúsculo



Já está rolando no Homem Nerd uma superpromoção para assistir ao filme
Crepúsculo. Para participar basta clicar aqui, preencher o formulário e responder a seguinte pergunta: "O que você faria se descobrisse que a pessoa que você ama é um vampiro?"

Serão escolhidas as 15 respostas mais criativas. Cada um dos vencedores ganhará um par de ingressos que poderão ser utilizados em qualquer cinema exibindo o filme, mas somente de segunda a quinta e a partir do dia 12 de janeiro.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Art Attack ataca de Vampiro

Parece que a Panini concorda com a Paris Filmes e com o Homem Nerd: dezembro é o mês de Vampiro.

A revista Art Attack número 7, uma de suas publicações que está nas bancas desde 18/12/08, tem como capa temas relativos aos vampiros e outros seres noturnos. Como atividade principal, o leitor é convidado a montar um "caixão porta recados".

Na realidade, pelo que deduzi, trata-se de um gap entre o lançamento da revista no exterior e no Brasil. As materias provavelmente foram publicas em outubro, nos EUA, com temática alusiva ao Halloween.

Uma coisa a observar: custei para encontrar na web informações a respeito desta revista, mesmo no próprio site da Panini. A Editora coloca dados apenas sobre os três primeiros números. Tá certo que não é o carro chefe, mas um pouco de atenção não ia fazer mal...

Nós lemos: O Vampiro Antes de Drácula


Criar coletâneas é sempre um problema, principalmente diante de um público nerd, como é o da literatura de gênero, seja Terror, Policial ou Ficção Científica.

Diante desta perspectiva, os organizadores (e também tradutores), Martha Argel e Humberto Moura Neto, optaram por escolher, segundo seu ponto de vista, obras que representavam bem o gênero, poucas vezes presentes em outras coletâneas e abrangessem um período significativo de tempo e mostrassem os elementos que acabaram por inspirar Bram Stocker para compor Drácula.

O ponto de partida foi o conto O Vampiro, do desconhecido Polidori, secretário particular do Lord Byron, que escreveu este texto na mesma noite em que Mary Shelley escreveu Frankstein, num bizarro “concurso” ocorrido numa noite chuvosa, em que participaram o próprio Lord Byron, Polidori, Mary Shelley e seu esposo, o poeta Shelley. Byron também escreveu uma história de vampiro, que não terminou e por uma confusão causada pelo relado desta noite feito pela autora de Frankstein, o conto de Polidori foi atribuído a Byron.

Nota nerd: Como O Vampiro de Polidori tem vários elementos que acabaram por inspirar Stocker a criar Drácula, podemos dizer que os dois ícones mais importantes do Terror nasceram na mesma noite!

Segue-se a este vampiro o fragmento escrito por Byron (provavelmente pela primeira vez numa edição brasileira), histórias de Edgar Alan Poe, Alexandre Dumas, Alexei Tolstoi, Guy de Maupassant, Anne Crawford, Phil Robinson, Conde Stenbock, H. G. Wells e finalizando com um conto do próprio Bram Stocker, uma provável anotação para o romance que ele transformou em conto, O Convidado de Drácula.

Para mais detalhes, leia a resenha escrita pelo nosso expert em Literatura de Terror, o Luiz, para o Especial Vampiros.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Os geeks mais sexies de 2008


Todo ano a revista Geek elege os geeks mais sexies do ano. A votação é aberta ao público e os candidatos também podem ser indicados pelo leitor. Confira e vote aqui.
Como tem essa abertura, alguns indicados são completamente desconhecidos, como professores de faculdade. Mas temos diversas familiar faces, além de algumas surpresas!
Alguns indicados que não imaginava que eram geeks:
Rosario Dawson: Kevin Smith a considera "the hottest geek on Earth", ou seja, já ganhou!
Mila Kunis: ela é doida por videogame... quem diria!
Danica McKellar: a Winnie de Anos Incríveis é uma especialista em matemática. Ela sempre foi estudiosa mesmo...
Mas quem provavelmente vai ganhar é a ajudante dos Mythbusters (que clichê!) ou Tina Fey, que está com tudo ultimamente.
Ah, e os geeks homens sexies? Alguém indicou o Barack e aquele professor americano que está morrendo. Meninas, entrem lá e consertem essa votação!! Quem vocês indicariam? Eu indico Adrien Brody do O.C.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Vampiros alternativos


O vampiro é um tema fascinante para cineastas. No começo da era de ouro no cinema, era um grande filão junto com outros monstrengos, como o lobisomem ou a múmia. Na era atual, só podemos contar com releituras que tentam, com sucesso ou não, revisitar esse personagem. É difícil conseguir mostrar vampiros sem os clichês. Se tirarmos o sangue, a aversão à luz e a sensualidade, sobra apenas um cara pra lá de esquisito e sem nenhum apelo.
Mesmo os filmes alternativos, quando encaram um projeto vampiresco acabam por usar e abusar dos estereótipos. Tive a oportunidade de ver alguns filmes B com vampiros protagonizando. Em geral, filmes B são marcantes por surpreenderem pela qualidade ou assustarem pela tamanha ruindade. Com os filmes de vampiros alternativos eu passei por todo o espectro da apreciação.
Vamos começar debaixo pra cima:

1. Mad Love Life of a Hot Vampire Eu devia ser muito inocente mesmo. Com esse título e tudo eu não desconfiei por nenhum segundo que se tratava de um filme pornô. O filme é simplesmente um “vampire exploitation”. Algo muito comum nos anos 1970 era pegar um tema em voga e fazer um filme bem toscão e conseguir platéias interessadas no assunto. Colocar cenas de sexo às vezes ajudava a atrair mais gente ainda. Tipo uma pornochanchada mesmo. Muitas vezes o diretor/roteirista tinha boas intenções e pouca grana e saía algo bom. Mas não é o caso.
Nesse filme, um tipo Drácula encaminha suas pupilas para pegarem homens por aí e no meio do rala-e-rola aproveitarem a boca na botija pra morder e colher o sangue para o mestre. Esse vampiro também tem um outro ajudante corcunda que protagoniza a única cena boa do filme, que é o final, quando em fuga ele vai parar na rua em plena luz do dia e antes de morrer mostra o dedo do meio para o sol.
As atuações são péssimas, o roteiro não existe, a trilha é enjoativa e as cenas de sexo nojentas. Um filme que não serve pra nada mesmo!

2. Luxúria de Vampiros Com esse nome eu desconfiei! Mas dessa vez eu estava enganada. O filme até tem suas cenas de carinho lésbico, que acredito terem sido chocantes na época (1971), mas hoje não passam de filmagem de arquivo da novela das 8. Esse filme foi produzido pela Hammer, a produtora de filmes de terror que lançou quase todos os clichês desse gênero. Mas, Luxúria já era do tempo em que o estilo Hammer já estava mais do que batido.
A história é levemente baseada na personagem vampira Carmilla, de Le Fanu. Luxúria de Vampiros é até um bom entretenimento, mas não deixa de ser um exploitation também. Primeiro que é uma continuação do primeiro filme da Hammer a usar o lesbianismo, Os Amantes Vampiros, realizado um ano antes. Além da nudez, o filme usa e abusa dos recursos já consagrados pela própria Hammer, tentando faturar em cima de quem já tinha sido fisgado pelo jeitão da produtora. O “Dr. Vampiro” interpretado por Mike Raven chega a ser cômico. A falta de habilidade interpretativa da bela protagonista Yutte Stensgaard também deixa tudo com um ar meio de comédia, principalmente porque em todos os momentos em que ela precisa mostrar uma emoção mais forte automaticamente fica vesga. Quem salva as atuações é Ralph Bates como o professor tarado.
Quem for fã de David Lynch não vai deixar de perceber a semelhança entre a trilha sonora (principalmente a música "Strange Love") de Luxúria de Vampiros e as músicas de Twin Peaks.

3. Por último, um filme alternativo mais recente. E, dos três, de longe meu preferido. Jesus Christ Vampire Hunter. Esse filme, que só é encontrado para comprar no próprio site da produtora Odessa ou pirateando, foi feito em 2001 pelo diretor Lee Demarbre.
A sinopse: Jesus voltando no ano 2000 para matar vampiros que estão vampirizando toda a comunidade lésbica (de novo!) de uma cidade americana. Para isso, ele usa todo seu conhecimento de kung fu. Além de ação e comédia, o filme também tem seus momentos de musical. A produção ganhou diversos prêmios, inclusive o Spirit Award. E não é pra menos. Com um orçamento mínimo e atores iniciantes (Phil Caracas que faz ninguém menos que Jesus, era gerente de um cinema no Canadá antes da atuar no filme anterior da Odessa, Harry Knuckles), consegue ser divertido e escapar de alguns clichês.
Quem tiver a oportunidade de assistir, não perca! Mas lembre-se que é um filme B e perdoe (e aproveite) eventuais “lapsos” da produção.
Obs.: O IMDB recomenda esse filme para fãs de Dodgeball.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Homenagem a Bela Lugosi

A Marca da Maldade


Tarde da noite revejo velhos filmes de Drácula. Eles assustaram milhares de fãs de outrora, com seus enredos simples e seus efeitos especiais pobres. Hoje não assustam mais ninguém. Mas havia o olhar de Bela Lugosi, insuperável marca da maldade que ainda assombra a sala de cinema vazia.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Phillip K. Dick faria 80 anos

O autor de O Homem do Castelo Alto, Blade Runner e Homem Duplo teria feito 80 anos se estivesse vivo, em 16/12.

Dick é um dos mais influentes escritores de FC, inspirando toda uma geração de escritores como Willian Gibson (Neuromancer) e Neal Stephenson (Nevasca) e HQs, como o a Saga dos Clones do Homem Aranha.

É o autor que mais teve o maior número de obras adaptadas para o cinema, entre elas, altém de Blade Runner, O Homem Duplo, Vingador do Futuro, O Sexto Dia e Minority Report.

Sua característica principal é a ambigüidade realidade versus ilusão.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Já vimos: Marley e Eu


Os amantes de cachorros estão enlouquecidos esperando pela estréia da adaptação cinematográfica de Marley e Eu. Esse público de coração mole será presenteado com uma produção cheia de emoções e lágrimas. Quem já teve um cachorro com certeza ficará tocado com a história.
A direção ficou por conta de David Frankel e as escolhas das canções populares para a trilha continuam sendo muito boas, assim como acontece no último filme produzido por David (O Diabo Veste Prada).
O longa estréia no Natal e a resenha completa será escrita pelo Luiz, que já leu o livro.

domingo, 14 de dezembro de 2008

Presentes para nerds


Fim de ano, principalmente aqueles últimos 10 dias antes das festas é sempre um estresse. Contas a pagar, trabalhos a terminar e muitos presentes a comprar. Se você tem amigos e família que gostam de amigo secreto é um alívio, diminui bastante a quantidade de presentes. Claro que hoje em dia tem o problema da multiplicação dos amigos secretos: da firma, da família, da faculdade, dos amigos do colegial, do condomínio... Ah, se todos fossem de 1,99. (Às vezes acho que é melhor começar a falar que somos "anti-Natal".)
E o pior não é o gasto mas o nervoso de pensar naquele baita presente especial. Foi pensando em você que criamos essa listinha de dicas de presentes para nerds. Se você tirou um nerd no amigo secreto, escolha qualquer uma das opções abaixo e ele vai ficar feliz. Se você é nerd, presenteie-se!

1. Todo mundo sabe que nerd adora mochilas! São tantos livros e dados de RPG pra carregar que ela torna-se um acessório indispensável. Apesar de a maioria dos nerds preferir usar a mesma mochila desde a quarta série, duvido que algum vai se recusar a andar por aí com a mochila do Homem-Aranha, por exemplo. E você pode ainda adaptar o modelo da mochila ao gosto do seu nerd, pois tem do Batman, do Indiana, do Darth Vader e até do Wall-E.

2. Nerd também nunca deixa de ser criança. Todo nerd adora um bonequinho. Mais conhecido como "action figure". Você pode caçar algum da infância em alguma feira de antiguidades ou brechó ou comprar uma das últimas novidades. Tem da Liga da Justiça, Star Wars, Transformers, Simpsons. Pra quem não sabe, esse é um grande filão do mercado de brinquedos então procure bastante e vai achar um ideal pro seu nerdinho querido.

3. Ainda na área dos brinquedos, um nerd também vai gostar de qualquer jogo de tabuleiro, como War, jogos clássicos do tipo de Genius, e, claro, o bom e velho autorama.

4. Mas se seu nerd tem vergonha de assumir que gosta de bonecos ou não gosta de velharias, pode ter certeza que com algum desses aqui você não erra: Halo ou Age of Empires. Mas quer saber? Duvido que com um jogo de botão ele já não fique bem feliz.

5. Mas nerd não quer só saber de brincar. Nerd que é nerd adora ler. Livros e revistas são bons presentes. Nessa área as opções não acabam mais. Você pode escolher algo mais descontraído como Harry Potter. Ou um livro mais sério, como uma biografia ou livro da área que ele estuda. Uma biografia sem erro: Tolkien. Outra opção certeira é Maus. Mas é bom averigüar antes se o nerd já não tem esse clássico. Veja a resenha do HN.
Uma dica diferente, barata e que apóia o artista nacional é Mesmo Delivery. Confira a resenha aqui.

6. DVDs também sempre agradam. Como gosto para filmes às vezes é difícil acertar, aposte nos filmes com os nerds como tema. A Vingança dos Nerds (e toda sua saga) é um verdadeiro clássico. Mais recentes temos Superbad (veja resenha). Mas lembre-se que nerds em geral gostam de comédia, terror, fantasia, animação, ficção científica, artes marciais, ação e aventura. Qualquer coisa muito longe disso vai ser um fracasso na certa.
Seriados também fazem sucesso: aposte em Big Bang Theory (confira antes nossa avaliação).

7. Música também é um setor complicado. Apesar dos nerds em geral serem rotulados como amantes do heavy metal, eles na verdade têm um gosto musical bem diversificado. Para não errar mesmo, o ideal é apostar nos clássicos como Queen ou Kiss.

8. Um dificuldade para o nerd é se vestir. Com tantas coisas legais como as apontadas acima para comprar, por que gastar com roupas? Prove pra ele que comprar roupas novas vale a pena dando uma dessas camisetas: Arquivo X ou da Encantada para garotas nerds menos fashionistas.

9. Quem disse que não dá pra ser nerd no quesito comida? Dê uma "cesta" com produtos da marca Nerds. Um pacotinho também serve de "inimigo secreto" pra mostrar pra todo mundo que seu amigo é nerd.

10. Nerd também adora uma coisa que chama memorabilia. É quando você compra um DVD, por exemplo, e ele vêm com um objeto relacionado ao filme ou série. Como torna-se um item de colecionador, esse kits são bem caros então tenha certeza que seu nerd gosta muito do tema e também reserve para presentear aquele nerd mais que especial. As opções são bem amplas também então vão algumas amostras do que existe por aí: House (4 temporadas + nécéssaire + caneta + porta-comprimido + camiseta); James Bond (20 filmes em DVDs duplos + maleta); Indiana Jones (4 DVDs + camiseta pólo.

Com essas dicas fica difícil você errar mas não nos culpe caso o presenteado faça aquele famoso sorrisinho amarelo na hora de desembrulhar. Nesse caso é que você achou que ele era nerd, mas na verdade ele não é não.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Dani Mel é brincadeira

Eu estava lendo o Guia da Folha na semana passada, procurando algum show legal para ir, quando vi uma notinha sobre o show de uma tal Dani Mel.

Confusa como eu sou, achei que era aquela menina que faz aquele programa sobre cachorros (e que depois eu lembrei se chamar Luisa Mell) e li a nota por curiosidade. O texto dizia mais ou menos assim:

A cantora lança o primeiro CD, Ainda bem que não dei, e apresenta seu repertório, que inclui as músicas Que merda que eu dei e Queria ter dado mas ele era casado.

Um turbilhão de pensamentos passou pela minha cabeça e não consigo reproduzi-los fielmente aqui. Mas entre eles estão "que porra é essa?", "não acredito que tem gente que paga para assistir a um treco desses" e "aposto que essa louca ganha muito mais que eu no fim do mês".

Comentando isso com minha amiga Letícia, ela se dispôs a garimpar o YouTube e achou o vídeo.

Prefiro que vocês assistam antes de eu dar a minha opinião:



Fala sério: não bastasse o título da música ser ridículo, o clipe imita descaradamente o primeiro clipe da Maria Rita, com aquelas pessoas dublando a música no Viaduto do Chá. Atenção para as aparições bizarras de ninguém mais ninguém menos que Zé do Caixão e o Nasi, do Ira!.

Tosco, tosco, tosco.
Tsc, tsc, tsc.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Já vimos: Crepúsculo

Este filme com certeza vai dividir opiniões, mesmo entre fãs. Enquanto alguns, como eu, vão adorar as adaptações (e correções) feitas pelo roteiro, outros vão achar que as mudanças foram violações imperdoáveis.

Já aos não-fãs dos livros, recomendo nem perderem o tempo. Duvido que irão gostar.
Os fãs de vampiros, então, vão achar essa versão do mito vampiro muito adolescente e fraca.

Fica a dica pras meninas em geral: Robert Pattinson é um dos caras mais lindos ever! E, quando você pensa que ele não pode ficar mais bonito no filme, ele vai lá e se supera. Sério. Perdi o fôlego mais de uma vez...

Confiram nosso Especial Vampiros.

Leve Bella & Edward para casa

Estava demorando para aparecer uma coisa assim. A Tonner Doll Company anunciou uma linha de action figures inspirados nos personagens do filme Crepúsculo.

Ainda não se sabe quanto os bonecos vão custar, mas quem tiver coragem de comprá-los receberá algo assim:


Até que o boneco do Edward ficou parecido com o Robert Pattinson, mas o que é essa cara da Bella, pelamordedeus?!?! Nada a ver com Kristen Stewart.

Alguém se habilita?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Refilmar Karate Kid é uma péssima idéia

Acho que vi Karate Kid pela primeira vez quando eu tinha uns 12 ou 13 anos* em uma sessão pipoca com minhas amigas do colégio. A gente gostou pra caramba do filme. Uma delas se apaixonou perdidamente pelo Ralph Macchio e desconfio que até hoje tenha uma quedinha pelo moço. É um filme emblemático para todas nós, junto com The Outsiders e Rumble Fish, um ícone sagrado da minha adolescência.

Tá certo, eu revi o filme outro dia, 20 anos depois. Tá certo, o filme é meio tosquinho. Tá certo, Ralph Macchio trabalha tão bem quanto o Cigano Igor. Tá certo, é um clichê atrás do outro. Tá certo, os penteados são cafonas. Mas é um marco para mim e para um montão de gente que, na época, não era chamada de pré-adolescente, teen, tween, nem de nada, era tudo criança mesmo.

E agora vem esse pirralho do filho do Will Smith achar que pode meter a colher em um clássico e excluir uma das cenas mais importantes, antológica até, eu diria?

Só pode ser uma piada.

*qualquer comentário engraçadinho sobre a minha idade será sumariamente eliminado por um golpe da Garça perfeitamente executado.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Prévia de Midnight Sun, de Stephenie Meyer

Para quem não sabe, eu vou resumir rapidamente a história. Stephenie Meyer é uma autora norte-americana que escreveu uma série de bastante sucesso: a série Twilight. São quatro livros narrados pela personagem Bella Swan, e a autora planejava um quinto livro, em que Edward Cullen, a namorado vampiro bonitinho da Bella, contaria a mesma história, mas sob o ponto de vista dele.

O rascunho desse livro narrado por Edward, sob o título Midnight Sun, vazou na internet. Meyer sentiu seus direitos autorais feridos e não continuou a escrever a obra. Para os fãs, ela deixou o rascunho oficial para download em seu próprio site (veja aqui). A saga desse livro é contado pela própria autora, então não me estenderei sobre o assunto.

A imagem ao lado é a capa da amostra de Midnight Sun, agora sem data de publicação.

Acho que a proposta de fazer um livro com outro narrador, ainda mais sendo o outro narrador Edward, é legal, de verdade. Funcionaria como um spin-off. Mas lendo o partial draft disponibilizado pela autora, fica claro que o desenvolvimento da idéia não foi lá aquelas coisas...

Como a Bia disse, e lendo o site da autora dá pra ver que é verdade, Midnight Sun foi um exercício de redação. Dá até pra ouvir um professor falando "agora escreva a mesma história em que o narrador é o outro personagem".

O objetivo de Meyer era que os leitores compreendessem Edward, entendessem o bonitinho de verdade. O que ela acabou fazendo foi recontar a história de Crepúsculo. O partial draft tem 264 páginas e vai apenas até quando Bella e Edward decidem viajar a Seattle. O erro dela está justamente na demora em desenvolver a história que já foi contada. O livro, em vez de retomar, reconta.

Para os superfãs que não ligam de reler e reler e reler e reler a mesma história, Midnight Sun é uma ótima pedida (quando, de fato, for publicado). Eu confesso que adoro reler livros e que adoro a troca de narrador em uma mesma história, mas, neste caso, eu me senti perdendo meu tempo.

Uma palavra pode resumir, então, tudo sobre Midnight Sun: frustração.

Este texto faz parte do Especial Vampiros.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Papai Cthulhu


Como o Homem Nerd está com especial sobre Vampiros e estamos em Dezembro, resolvi publicar um Papai Noel especial.

O Cthulhu parece menos assustar quando vestido assim...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Dracula na vitrine




Eu trabalhava na Livraria Cultura quando a Penguin lançou o novo layout da coleção Penguin Classics. Depois de capas verde-clarinhas, das cinza, meio prateadas, e de algumas com a lombada laranja, chegavam as capas pretas. As lindas, irresistíveis capas pretas.

Os livros eram tão lindos que, apesar de não serem lançamentos (dãã, a coleção se chama Classics, né?), destinamos uma parte da vitrine da principal loja do Conjunto Nacional - na época as lojas ainda eram separadas - para expor a nova coleção.

Para ajudar a divulgação, a editora inglesa mandou uns pôsters gigantes, tão lindos quanto as capas. De um lado, tinha a reprodução da capa de Dracula e uma frase do livro; de outro, o Frankenstein e outra frase. Maravilhosos! Colamos no vidro, quase dois metros de papel que chamava a atenção que era uma beleza. De longe, Mirna reinava imponente e minha amiga e eu apreciávamos nossa obra-prima, orgulhosas.

Durou menos de uma semana. Algumas pessoas acharam a figura muito agressiva e tivemos de tirar. Foi uma pena.

Eu não me lembrava dessa história até ler a resenha da Frá sobre o Dracula para o Especial Vampiros. É, esse especial está trazendo de volta muitas lembranças. Rever Lost Boys é uma delas, mas essa já é outra história.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Para os animadinhos...!


Ontem o Edu e eu fomos à abertura do FIAE – Festival Internacional de Animação Erótica. Embora o tema seja sugestivo, ficamos bem concentrados no trabalho... hehehe. E que trabalho! Quero dizer, as animações apresentadas superaram as expectativas em qualidade.

O FIAE é o único festival do gênero no mundo, e nasceu no Brasil em 2006. Este ano apresentará 149 curtas, vindos de diversos países, e um longa-metragem da Bélgica. Os trabalhos competem entre si em várias categorias – dentre elas Melhor Animação Brasileira, Melhor Animação Internacional e A Animação Mais Quente. Alguns são pra chorar de rir, outros são mais sérios e até pessimistas. As histórias tratam de sexo, fetiche, romance, sexualidade, erotismo... e por aí vai.

Em São Paulo, o festival teve seu início ontem (02/12) e acontecerá até domingo (07/12), e está sendo exibido no HSBC Belas Artes. A cidade do Rio de Janeiro também foi presenteada com o evento, que ocorreu na cidade em novembro deste ano. Para saber mais e conferir a programação completa, acesse o site do FIAE clicando aqui.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Minha primeira vez foi com um vampiro

Não sei se todos os nossos leitores sabem, mas eu passei a fazer parte da equipe de editores do Homem Nerd em janeiro deste ano. Durante todo esse tempo, tenho tido o prazer de conviver com pessoas divertidas, interessadas e, ai que bom!, inteligentes.

Em uma de nossas reuniões, conversávamos sobre o sucesso estrondoso de Crepúsculo nos Estados Unidos, sobre o qual eu tinha ouvido muitos comentários. Foi nesse momento que tivemos a idéia de fazer um especial sobre vampiros para comemorar a chegada do filme no Brasil e, naturalmente, me tornei a mãe da criança.

Bom, depois de algum nervosismo, muita ansiedade e total imersão no mundo vampiresco, eis que surge o Especial Vampiros.

Espero que gostem!