terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Jingle Bela

Sinopse: Papai Noel não vive apenas entre elfos e renas. Ele não só constituiu família como teve uma filha, Jingle Bela, que ao chegar à adolescência e cansada de ficar no anonimato, parte para o "ataque".

Análise: Retomando a tradição de HQs natalinas, como o editor Odair Braz Jr. relembra em artigo no posfácio da HQ, Jingle Bela é um gibi temático bastante simpático.

A obra é dividida em diversas tramas curtas, com a filha do Papai Noel, metida em todo o tipo de encrencas e confusões.

A personagem, criada por Paul Dini em 1999 na editora Oni Press e depois publicada pela Dark Horse em 2004, prima pelo bom-humor e pelas histórias divertidas. Dini é um dos principais responsáveis por diversos desenhos animados de sucesso, como as séries do Batman, Super-Homem, Jovens Titãs, Krypto e Animaniacs, entre outros. Isso explica o clima das histórias de Jingle Bela, simples diretas, rápidas, que poderiam perfeitamente ser adaptadas para uma série de desenhos animados.

Outra coisa que contribui para isso é a arte de José Garibaldi, desenhista da maioria das HQs. Seu traço é limpo, quase infantil. Lembra bastante o dos desenhos do Cartoon Network

Por tudo isso, quem estiver procurando por uma boa leitura de natal, Jingle Bela é uma boa opção.


domingo, 23 de dezembro de 2007

Natal

"Aaaaaaaaaaah, o natal chegou e eu ainda não comprei o Turbo Man para o meu filho!"

Que filme é esse? Comentem!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Nós vimos Eu sou a Lenda


Eu li o livro de Richard Matheson que inspirou o filme, há muito tempo, e gostei muito. Cheguei no cinema cheio de desconfianças. Mas posso garantir: o filme é sensacional! Um terror psicológico emocionante, aventura, ação, drama, enfim, tudo que um blockbuster tem que ter.

Destaque para a atuação de Will Smith, que ao contrário do que eu esperava, não estragou o filme, mas sim abrilhantou a obra.

Imperdível!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

De vinte em vinte

O flashback anos 80 está bem forte ultimamente. Tem roupas, livros, jogos, desenhos, hqs, filmes, action figures, brinquedos (que não são a mesma coisa!, hehehe) .

Nos anos 90, o flashback foi dos anos 70 (lembre-se das roupas e filmes flashback da época). Nos anos 80, os 60 (o musical Hair é a prova disso) e assim sucessivamente.

O Cartunista argentino Liniers fez uma tirinha sensacional sobre o assunto. Confiram:


segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Sobre o mangá nacional de One Piece

A edição de novembo, o nº 67, segundo a assessoria da Conrad, ficaria para o próximo mês devido a problemas contratuais.

No checklista da editora em dezembro não consta One Piece novamente. Entrei em contato hoje novamente com a editora na esperança de saber o que pode ter acontecido com o mangá. Sabendo novidades eu posto no site.

Encantada: eu vi!

Gente. G-e-n-t-e!
Eu preciso ver de novo, não tem nem o que dizer.

Finalmente a Disney fez o que sabe fazer tão bem. E, meu, arrasou! Encantada é o filme que eu esperei uns dez anos pra ver. Acho que desde Hércules a Disney não faz um filme tão bom assim, musical e tudo mais.

Quando eu fui comprar o ingresso, fiquei um pouco chateada que só tem cópias dubladas do filme. Mas aí lembrei que eu nunca gostei dos filmes da Disney (nem da Pixar) legendados. A dublagem brasileira deles sempre foi um espetáculo à parte.

E, meninos, não pensem que este é um filme girly. É pra todos os gostos.

Então fica a dica... e a música na cabeça (como ela sabe que a ama?).

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Sugestão de video

Meu irmão, Daniel Kroll, que já colaborou aqui com o Homem Nerd, faz faculdade de cinema e já está produzindo os seus videos. Recomendo seu último trabalho, com seu grupo, para a disciplina de Direção de Arte. Uma dica, revejam o filme e prestem atenção nos detalhes:


domingo, 9 de dezembro de 2007

Cinemas Unibanco em dezembro

Fica a dica, minha gente.

A rede de cinemas Unibanco (dois exemplos em Sampa são o da R. Augusta e o do shopping Frei Caneca) está com uma promoção em dezembro: ingressos a R$6,00. A meia-entrada fica R$3,00.

I-m-p-e-r-d-í-v-e-l!

Parceria Potter Sampa

Galera, temos um novo parceiro, o site especializado em Harry Potter, o Potter Sampa.

O site é bem legal e tem diversas notícias sobre o universo do Bruxo. Confiram.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Ok, vamos tentar "let it be"

Aqui abrirei espaço para um desabafo pessoal. Nerds, please, preciso dividir isso com vocês... Mas antes de tudo um informação necessária: não sou (nem de longe) fanática por Beatles.

Ontem estreou nos cinemas nacionais o musical Across the Universe. Um filme que, cá entre nós, tinha tudo para ser maravilhoso: músicas dos Beatles, experimentações visuais, um elenco realmente talentoso... Sério. E a "lombriga" para ver fica ainda mais atiçada com o trailer do negócio: de arrepiar. Vou ser bem sincera, depois da primeira vez que vi (tipo, há uns dois meses ou mais) não só fiquei vendo repetidamente nas semanas seguintes como me prontifiquei a apresentá-lo a todos os meus amigos (é, às vezes eu sou meio chata).

Bom, mas vamos direto ao assunto: fraude minha gente... fraude!! Como assim uma pessoa faz um musical com tudo isso que falei, e ainda com um "plus" na direção de arte, e me esquece de montar pra gente um filme que faça jus a tudo isso? Vi o filme depois de todo esse tempo de espera e, se não fosse a preparação psicológica pela qual passei antes de vê-lo (nossa amiga de equipe Carla Bitelli conseguiu diminuir minhas dores em conversas informais), teria sido uma das maiores decepções cinematográficas do ano constatar isso sozinha – o filme deixa muito a desejar.

Visualmente é esplendoroso, cheio de experimentações de encher os olhos. A música, então, nem precisa dizer: Girl, All you need is love, I want to hold your hand, With A Little Help From My Friends (a música de abertura da série Anos Incríveis, lembram??). Apesar disso tudo, ele ainda consegue deixar o espectador cansado... não pelo tempo da fita (gente, tem mais de duas horas!) mas pela narrativa arrastada. Por incrível que pareça, falta força e empolgação em muitas partes, algumas chegando até ao piegas (não de forma intencional – quem me dera). Concordo com tudo o que a Carla disse na resenha dela e acrescento: ver Across the Universe vale por tudo o que ele representa – mas se você quiser uma produção realmente boa fique somente com o trailer, que é mil vezes melhor construído. Mas tudo bem, deixe estar.

A febre Diablo


Que nerd não se lembra da febre que foi o jogo de comp Diablo. Foi uma febre só comparada ao seu sucessor, Diablo II. Nem Half-Life e sua expansão Counter Striker foi tão emblemático quanto Diablo. Todo moleque que tinha um comp minimamente equipado e com conexão discada ia com os amigos atrás do demônio que assolava o mundo.

Vendo hoje em dia, o jogo era até q bem simples mas disponibilizava recursos para jogar interativamente numa época que a internet e os computadores penavam e foi coqueluche.

Este nerd que voz fala tinha um computador péssimo nesta época, mas todos os meus amigos só comentavam de Diablo. Quando finalmente consegui fazer o jogo rodar e poderia entrar nas conversas saiu Diablo II, que meu comp nunca rodaria. Fiquei pra trás de novo, hehehe.

Mas confesso que ainda me diverti bastante caçando Diablo e seus asseclas.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Oscar e roteiro de Cidadão Kane em leilão

Quem dá mais? A agência internacional Reuters soltou uma notícia inquietante ontem: um roteiro de 156 páginas do clássico Cidadão Kane"(filme revolucionário, considerado por muitos a maior obra da história do cinema), de Orson Welles, e o Oscar que o cineasta recebeu pelo roteiro do filme deverão ser leiloados na próxima semana pela Sotheby's, que prevê que alcancem preço superior a 1 milhão de dólares.

O Oscar é o único prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas que o aclamado roteirista, diretor, ator e produtor recebeu pelo filme de 1941.

O Oscar será vendido pela Fundação Dax, de Los Angeles, um grupo sem fins lucrativos que apóia causas ligadas à educação, saúde e outras questões. Ele foi vendida à fundação em 2003 pela filha mais jovem de Orson Welles, Beatrice.

O último rascunho revisto do roteiro final usado nas filmagens, completo com anotações feitas em lápis de cera azul, também será colocado em leilão pela Sotheby's em 11 de dezembro em Nova York.

Cara, já pensou esse Oscar na sua estante?

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Animações e o Oscar

O Oscar, como é popularmente conhecido o prêmio da academia de cinema de norte-americana, tem o objetivo de premiar os melhores filmes de cada ano. Recentemente, com a explosão das animações digitais, a academia abriu uma nova categoria, a de Melhor Animação Longa-Metragem.
Antes disso, não era incomum filmes de animação competiram lado a lado com outras produções hollywoodianas pelos principais prêmios. A Bela e a Fera, por exemplo, foi indicado ao prêmio de melhor filme em 1991.

Mas hoje em dia é praticamente improvável que uma animação chegue nessa etapa. Ao ganhar sua própria premiação, as animações ficaram relegadas a esse lugar, algo como uma "mesa das crianças". Uma pena que filmes como Shrek, A Viagem de Chihiro, Bicicletas de Beleville e o recente Persépolis (todos eles bem melhores que o vencedor de 2001 Uma Mente Brilhante, por exemplo) nunca vão poder ter a chance de levar o último prêmio da cerimônia.

O New York Times publicou um interessante artigo sobre o assunto. Confiram.